Os Portos Marítimos assumem hoje um papel fundamental na economia, na medida em que integram dinamicamente as cadeias logísticas e de transporte no hinterland.

Numa economia globalizada, a competição entre portos, aeroportos, plataformas logísticas, terminais petroquímicos, etc., depende da capacidade de obter vantagens sobre os demais.

Estas vantagens são obtidas na habilidade em articular todos os intervenientes na segurança e operação do hinterland, processar o tráfego rapidamente, de forma confiável e pela capacidade de integração de todas as actividades: Administrativas, alfandegárias, controlo, segurança, de forma a construir canais rápidos e eficientes que permitam que os bens transitados cheguem ao seu destino final no menor tempo e custo possíveis.

Plataformas tecnológicas integradas, como EGAPI ID-System são fundamentais, oferecendo maior segurança, eficiência operacional, melhor serviço e redução de custos nas operações que os Portos desempenham.

A logística, no conceito new economy é baseada na óptica de serviços, com mercadorias entregues just-in-time e door-to-door. A articulação entre logística e regras de segurança internacionais (IMO ISPS CODE), é fundamental para a eficiência e rentabilidade da operação portuária.

Informação adicional

IMO ISPS Code

A IMO (International Maritime Organization) sustenta o International Ship and Port Facility Security Code (ISPS Code), o que constitui um conjunto de medidas para suporte à segurança de navios e instalações portuárias.

O seu desenvolvimento e implementação foi acelerado, face aos ataques de Setembro 11, 2001, NY e o ataque ao navio francês Limburg, para acautelar ameaças a navios e instalações portuárias.

A Guarda Costeira dos USA, junto da IMO, liderou a criação e implementação das medidas de segurança.

Este código de conduta foi acordado com mais 108 signatários na convenção SOLAS, em Londres, em 2002.

As medidas acordadas para o ISPS Code, foram tornadas obrigatórias em 2004.

O Código ISPS estabelece determinadas regras que tornam os navios e instalações portuárias mais seguras:

  • Controlo de entrada e saída de pessoas e veículos nas instalações;
  • Delimitação e Segurança do perímetro das instalações;
  • Delimitação das Zonas Internacionais;
  • Videovigilância do perímetro do porto, do cais e acessos às áreas portuárias;
  • Cadastro de TODAS as pessoas e veículos que circulam nas instalações portuárias.
 LOGO IMO

Certificação ISPS

Em 2003 a EGAPI desenvolve e implementa a primeira versão de controlo de acessos às áreas portuárias mais sensíveis. Esta implementação, toma em linha de conta os requisitos do ISPS, aplicando-os no Terminal Petroquímico do Porto de Sines.

Internacionalmente auditados com sucesso, os clientes da plataforma EGAPI – ID-System, figuram na lista de portos sustentados por esta norma mundial. Posteriores versões da plataforma, passam a integrar outras componentes tecnológicas e agilizar processos operacionais.

Um navio antes de chegar a um porto deve informar os últimos 10 portos que visitou, e caso algum destes não seja certificado de acordo com o Código, poderão ser adoptas medidas adicionais de protecção – níveis de prontidão ISPS.

As soluções EGAPI adequam e suportam os procedimentos de controlo e acessibilidade ás instalações, em articulação com os níveis de prontidão definidos pelo ISPS Code.

Sendo o comércio marítimo internacional um sector altamente competitivo, os navios que o realizam passariam a evitar portos que não são certificados de acordo com o Código ISPS.

A plataforma EGAPI ID-System, reflecte e operacionaliza as normas de segurança do ISPS Code. A sua aplicabilidade, pode portanto ser encarada em infra-estruturas como aeroportos, terminais ferroviários, parques logísticos e outras instalações conexas a áreas internacionais.

Nas instalações, existem procedimentos e cartões de acesso por questões de segurança. Zonas de acesso controlado face aos riscos existentes – armazenagem e movimentação de mercadorias perigosas, etc..

As autoridades de policia, alfandega e fronteira, também possuem títulos de identificação e acesso às áreas portuárias, internacional e navios.

A plataforma ID-System, sustenta a interoperabilidade  de todas as componentes, procedimentos e entidades, agilizando a mesma.

LOGO ISPS CODE
Consulte as nossas soluções
  • Controlo Acessos

    Em instalações complexas, é natural a existência de sistemas de controlo de acesso por questões de segurança – zonas de acesso controlado face aos riscos existentes – armazenagem e movimentação de mercadorias perigosas, matérias-primas e produtos alimentares, etc.

    Saber mais
  • ACCR

    Automatic Container Code Recognition é uma solução para a automatização de processos logísticos e operacionais através da captura e do reconhecimento de matrículas de contentores de mercadorias.

    Saber mais
  • Physical-Check

    Validação física de contentores ao nível da selagem, estado do contentor e mercadoria, realizada sempre que o contentor é entregue ao operador logístico que se segue na cadeia de distribuição.

    Saber mais
Casos de estudo
  • Caso de estudo

    Porto de Sines

    O Porto de Sines é um porto de águas profundas, líder português na quantidade de mercadorias movimentadas e apresenta condições naturais ímpares na costa portuguesa para acolher todos os tipos de navios. Dotado de modernos terminais especializados, pode movimentar os diferentes tipos de mercadorias, está aberto ao mar e conta com excelentes acessibilidades marítimas sem constrangimentos. É o principal porto na fachada ibero-atlântica, cujas características geofísicas têm contribuído para a sua consolidação como activo estratégico nacional, sendo, por um lado, a principal porta de abastecimento energético do país (petróleo e derivados, carvão e gás natural) e, por outro, posiciona-se já como um importante porto de carga geral/contentorizada com elevado potencial de crescimento para ser uma referência ibérica, europeia e mundial.

    Saber mais
  • Caso de estudo

    Porto de Leixões

    O Porto de Leixões é a maior infra-estrutura portuária do Norte de Portugal e uma das mais importantes do País. Com 5 Km de cais, 60 ha de terraplenos e 120 ha de área molhada, Leixões dispõe de boas acessibilidades marítimas, rodoviárias e ferroviárias, bem como de modernos equipamentos e avançados sistemas informáticos de gestão de navios. Representando 25% do Comércio Externo Português por via marítima e movimentando 16,4 milhões de toneladas de mercadorias por ano, Leixões é um dos portos mais competitivos e polivalentes ao nível nacional, já que passam por Leixões cerca de 3 mil navios por ano, e todo o tipo de cargas.

    Saber mais

© EGAPI, 1990-2021, todos os direitos reservados